APEA

Associação Portuguesa de Entusiastas de Aviação
Data/Hora: sexta jul 10, 2020 3:17 am

Hora +01:00 UTC+1




Criar Novo Tópico  Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 
Autor Mensagem
 Assunto da Mensagem: Pinto lidera aviação mundial
MensagemEnviado: domingo mai 27, 2007 11:51 am 
Desligado
Avatar do Utilizador

Registado: segunda mar 24, 2003 2:17 am
Mensagens: 882
Localização: Porto
Presidente da TAP escolhido para ‘chairman’ da IATA, que representa 250 companhias.

Fernando Pinto, presidente da TAP, vai ser eleito ‘chairman’ da IATA, a mais importante autoridade internacional da indústria da aviação. O brasileiro terá que decidir sobre matérias como as medidas de segurança a aplicar nos aeroportos ou a fixação de tarifas comuns a todas as companhias que fazem parte da IATA.

A decisão já está tomada, faltando apenas o anúncio oficial por parte da Associação Internacional de Transporte Aéreo, que será feito em assembleia geral marcada para 3 a 5 de Junho, apurou o Diário Económico.

É a primeira vez que um representante da língua portuguesa assume funções deste destaque naquele organismo mundial. Fernando Pinto, que foi presidente da Associação Europeia de Aviação, em 2005, substitui assim, durante um ano (2007-2008), Chew Choon Seng, o CEO da Singapore Airlines, uma das maiores companhias aéreas do mundo e a mais lucrativa companhia asiática.

O presidente da TAP passa a ser o ‘chairman’ do conselho de gestão da IATA, do qual já fazia parte. Este ‘board of governance’ – que inclui presidentes das principais companhias aéreas mundiais, da British Airways à American Airlines –, é responsável pela orientação das políticas da IATA. Fernando Pinto passa assim a ter um papel mais decisivo na condução dos trabalhos do ‘board’, que define a estratégia da organização internacional.

A IATA reúne mais de 250 companhias aéreas, de 136 países, que representam 94% do total do tráfego internacional.

A associação, que nasceu em 1945, é o regulador da indústria de aviação mundial. As medidas de segurança a aplicar nos aeroportos e a cumprir pelas companhias aéreas, a verificação da manutenção dos aviões, a fixação de tarifas e a harmonização das práticas da indústria, são algumas das áreas fiscalizadas pela IATA.

A organização mantém-se atenta ao cumprimento dos procedimentos de segurança, no que toca ao transporte de passageiros e de cargas perigosas, e define as regras da formação dos funcionários das companhias aéreas. A IATA é também responsável pela harmonização dos códigos que são usados em todos os aeroportos, na marcação dos voos ou nas etiquetas da bagagem.

Os desafios de Fernando Pinto à frente da organização deverão manter-se em linha com o que tem sido a política da IATA nos últimos anos, especialmente desde que Giovanni Bisignani, actual CEO do regulador, assumiu funções, em 2002. A segurança, as preocupações ambientais, os custos com o combustível e o esforço em tornar o negócio da aviação mundial rentável com o crescimento da concorrência e o fenómeno das ‘low cost’ são temas que têm pautado as preocupações do regulador mundial da indústria de aviação.

Um dos objectivos fixados pela anterior administração para este ano é conseguir que as companhias aéreas atinjam uma poupança de cerca de 1,1 milhões de euros em impostos, taxas e combustível, através da eficiência operacional e da melhoria das infra-estruturas aeroportuárias. A nível de segurança, espera-se que 95% dos membros estejam auditados no final do ano e que a emissão de bilhetes seja totalmente electrónica.

A importância de ser membro da IATA
Ser membro da IATA é sinónimo de segurança, fiabilidade e de reconhecimento para os passageiros de qualquer companhia aérea. A associação surgiu em 1945, para defender os interesses das companhias. A partir do final da década de 70, com a liberalização do sector, a associação passou a ter um papel de ‘lobby’ junto das companhias.
No entanto, a IATA mantém a ‘clearinghouse’, ou seja, um departamento que processa os acertos de pagamentos entre as companhias e os agentes, como as comissões de vendas ou o pagamento de manutenção. O regulador tem 78 escritórios em 72 países. Em 2006, esteve responsável pela gestão de mais de 200 mil milhões de euros para as companhias aéreas, através dos seus serviços financeiros.

IN: Diário Económico

_________________
Luis Lourenço
Sócio Nr. 075


Topo
   
Mostrar mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar Novo Tópico  Responder a este Tópico  [ 1 mensagem ] 

Hora +01:00 UTC+1


Quem está ligado:

Utilizadores neste fórum: Majestic-12 [Bot] e 32 visitantes


Criar Tópicos: Proibido
Responder Tópicos: Proibido
Editar Mensagens: Proibido
Apagar Mensagens: Proibido
Enviar anexos: Proibido

Pesquisar por:
Ir para:  
cron
Desenvolvido por phpBB® Forum Software © phpBB Limited
Traduzido por: phpBB Portugal